1. Página Inicial
  2. Notícias
  3. RELATÓRIO OBRAS DE MOBILIDADE URBANA - MES DE MAIO/ 2016
14/06/2016 - BRT - Avenida Bento Gonçalves

RELATÓRIO OBRAS DE MOBILIDADE URBANA - MES DE MAIO/ 2016

Relatório referente ao andamento das obras de mobilidade urbana em Porto Alegre no mês de maio.

 CORREDOR AVENIDA TRONCO
Dados da obra:
 • Início: mai-12
 • Extensão: 5,83km de duplicação
 • Custo: R$ 124,1 milhões
 • Estimativa de conclusão: dez-17 (depende de reassentamentos de famílias)

Qualificação que a obra trará:
Implantação de ciclovia
16 estações de ônibus (08 por sentido)
Melhoria da mobilidade urbana entre a zona central e as zonas leste e sul

Status da obra:
A obra (extensão total de 5,83km) desenvolve-se nos trechos que possuem áreas liberadas.
É uma obra de extrema complexidade no que se refere ao aspecto social, haja vista a necessidade do estabelecimento de solução habitacional às famílias que habitam no traçado do projeto.
Das 1525 famílias inicialmente existentes no traçado, aproximadamente 1345 (88,20%) tiveram resolvidas suas situações referentes à moradia (restam no traçado 180 famílias).
Quanto à indicação de uma data de conclusão da obra, não é possível estabelecer de forma definitiva, pois, embora faltem apenas 11,80% de solução habitacional, as famílias que ainda permanecem no traçado o habitam de forma dispersa, impossibilitando o estabelecimento de uma frente de obra contínua.
Durante o mês de mai-16, o município avançou, em termos de áreas para a execução da obra, em 9,40%, chegando a aproximadamente 81% do total das áreas necessárias. Nesse percentual de 81% estão inclusas as áreas em que já houve a pavimentação (trechos concluídos) e as áreas em que se estão trabalhando (trechos com obras em andamento). Tal percentual de 81% estava previsto para acontecer somente em dez-16.
O avanço referido trata-se de trecho de extensão de 550 metros na avenida Moab Caldas, entre a avenida Francisco Massena Vieira e a rua Gabriel Fialho Camargo (próximo ao Posto de Saúde da Cruzeiro do Sul – PACS). Nesse trecho, houve inclusive a implantação de desvio de trânsito para possibilitar a execução da obra.
Atualmente, a obra apresenta às seguinte situações em termos de frentes para sua execução:

AVENIDA MOAB CALDAS (trecho de 600 metros, aproximadamente), entre a avenida Francisco Massena Vieira e rua Maria José Alberton Silva – Situação: Obra concluída (pavimentação), nos dois (02) sentidos;
AVENIDA MOAB CALDAS (trecho de 550 metros, aproximadamente), entre a avenida Francisco Massena Vieira e a rua Gabriel Fialho Camargo (próximo ao Posto de Saúde da Cruzeiro do Sul PACS) – Situação: Mobilização para o início das escavações, nos dois (02) sentidos;
AVENIDA TERESÓPOLIS (trecho de 500 metros, aproximadamente), entre as ruas Professor Carvalho de Freitas e Anchieta – Situação: Obra concluída (pavimentação), nos dois (02) sentidos;
AVENIDA CORONEL GASTÃO HASLOCHER MAZERON (trecho de 800 metros, aproximadamente), entre a rua Catão Coelho e as proximidades da confluência da rua Mariano de Matos e avenida Dr. Carlos Barbosa – Situação: Obra concluída (pavimentação), nos dois (02) sentidos;
AVENIDA CORONEL GASTÃO HASLOCHER MAZERON (trecho de 130 metros, aproximadamente), entre as proximidades da confluência da rua Mariano de Matos e avenida Dr. Carlos Barbosa e avenida Moab Caldas – Situação: Obra em andamento, em um (01) sentido. Previsão de conclusão: dez-16;
AVENIDA MOAB CALDAS (trecho de 350 metros, aproximadamente), entre as ruas Maria José Alberton Silva e Dona Malvina – Situação: Obra em andamento, em um (01) sentido. Previsão de conclusão: dez-16;
AVENIDA MOAB CALDAS / CRUZEIRO DO SUL (trecho de 500 metros, aproximadamente), entre as ruas Dona Malvina e Padre Nóbrega – Situação: Em obras, em um (01) sentido. Previsão de conclusão: dez-16;
AVENIDA DIVISA (trecho de 200 metros, aproximadamente), entre as ruas Padre Nóbrega e Jacuí – Situação: Aguardando liberação de área (reassentamento de famílias). Previsão de conclusão: dez-17;
AVENIDA DIVISA (trecho de 350 metros, aproximadamente), entre as ruas Jacuí e Comandaí – Situação: Em obras. Previsão de conclusão: dez-16;
AVENIDA DIVISA (trecho de 150 metros, aproximadamente), entre as ruas Comandaí e Jaguari – Situação: Em obras. Previsão de conclusão: dez-16;
AVENIDA DIVISA (trecho de 150 metros, aproximadamente), entre as ruas Jaguari e Upamaroti – Situação: Em obras. Previsão de conclusão: dez-16;
AVENIDA DIVISA (trecho de 150 metros, aproximadamente), entre as ruas Upamaroti e Jataí – Situação: Em obras. Previsão de conclusão: dez-16;
AVENIDA DIVISA (trecho de 150 metros, aproximadamente), entre as ruas Jataí e Curupaiti – Situação: Em obras. Previsão de conclusão: dez-16;
AVENIDA DIVISA (trecho de 150 metros, aproximadamente), entre a rua Curupaiti e avenida Icaraí – Situação: Obra concluída (pavimentação), nos dois (02) sentidos. Previsão de conclusão: dez-16;
RÓTULA DA ICARAÍ (área junto ao Hipódromo Cristal e próxima às avenidas Divisa e Icaraí) – Situação: Em obras. Previsão de conclusão: dez-16

PAVIMENTAÇÃO CORREDOR BRT PROTÁSIO ALVES
Dados da obra:
• Início: mar-12
• Extensão: 7,0km
• Custo: R$ 18 milhões
• Estimativa de conclusão: Obra concluída (liberada ao tráfego em mai-16)
Status da obra:
Obra de pavimentação concluída
Próximas etapas:
Implantação de barreiras de concreto para proteção de estações próximas a hospitais e escolas;
Tratam-se de barreiras de concreto tipo New Jersey (NJ)
Os NJ serão implantados em jul-16 e levarão 60 dias para execução.

PAVIMENTAÇÃO CORREDOR BRT BENTO GONÇALVES
Dados da obra:
• Início: mar-12
• Extensão: 7,0km
• Custo: R$ 14 milhões
• Estimativa de conclusão: Conclusão em jun-16 (liberação ao tráfego)
Status da obra:
A obra está na fase final de execução;
A concretagem do pavimento foi concluída (em jun-16 haverá a liberação ao tráfego);
Em fase final de execução o piso das duas (02) estações;
Em execução as barreiras de proteção tipo New Jersey (NJ);
Em execução as pinturas de sinalização horizontal.

PAVIMENTAÇÃO CORREDOR BRT JOÃO PESSOA
Dados da obra:
• Início: set-12
• Extensão: 3,2km
• Custo: R$ 5,6 milhões
• Estimativa de conclusão: dez-17

Status da obra:
Obra executada em 60%
Já foram executados 1.920,00m metros de pavimento, de um total de 3.200,00 metros
Próximas etapas:
O contrato de execução está em encaminhamento de rescisão (segunda quinzena de jun-16);
Motivo: uma das empresas participantes do consórcio está em processo de recuperação judicial. Não houve interesse do município nem do consórcio pela permanência do contrato;
No segundo semestre de 2016 haverá nova licitação para a execução da obra remanescente (1.280,00m). Está em elaboração o novo orçamento, de modo a lançar o edital, que será publicado em nov-16. A obra terá início em fev-17 e durará 12 meses;
Observação:
Os 60% executados da obra estão em situação de uso e recebendo o tráfego dos ônibus. Não há nenhum desvio, pois houve conclusão plena dos 1.920,00m. Portanto, não há impacto no trânsito. O fluxo desenvolve-se normalmente.


CORREDOR VOLUNTÁRIOS DA PÁTRIA - DUPLICAÇÃO
TRECHO 1 – Trecho entre as ruas da Conceição e Ramiro Barcelos
Dados da obra:
• Início: jan-13
• Extensão: 0,75km
• Custo: R$ 13,3 milhões
• Estimativa de conclusão: ago-16 (pavimentação concluída; faltam apenas a sinalização e passeios públicos – calçadas)
Status da obra:
A execução da pavimentação foi concluída;
Faltam apenas a implantação da sinalização (horizontal e vertical) e a execução dos passeios públicos (calçadas);
Os enleivamentos (gramas) já foram plantados nos canteiros centrais.
Em ago-16 a obra será entregue
A pavimentação do lote 1 (750 metros), nos dois sentidos (entre as ruas da Conceição e Álvaro Guaspary) está 100% executada.
Falta executar:
Passeios públicos (calçadas);
Pintura de sinalização (horizontal e vertical);
Enleivamento nos canteiros (plantio de grama)


TRECHO 2 – Trecho entre a Ramiro Barcelos e Sertório
Dados da obra:
• Extensão: 2,5km
• Custo: R$ 35 milhões
Status da obra:
O lote 2 (entre a rua Ramiro Barcelos e avenida Sertório) tem extensão de 2,50km. Seu início depende de áreas que estão em processo judicial de desapropriação. Após iniciada, a obra terá cronograma de execução de 18 meses.


CORREDOR TERCEIRA PERIMETRAL
VIADUTO SÃO JORGE
Dados da obra:
• Início: ago-12
• Extensão: 540 metros
• Custo: R$ 73 milhões
• O viaduto já está liberado para circulação
Status da obra:
Viaduto concluído
A etapa do laço de quadra (sentido norte-leste) será concluída até jun-16;


TRINCHEIRA DA ANITA
Dados da obra:
• Início: jan-13
• Extensão: 210 metros
• Custo: R$ 13,4 milhões
• Estimativa de conclusão: segundo semestre de 2016
Status da obra:
Obra em andamento;
A obra desenvolve-se no lado bairro e lado centro, simultaneamente;
As paredes de contenção (paredes diafragma) da trincheira já foram executadas, tanto no lado bairro quanto no lado centro;
Parte da laje de cobertura da trincheira (parte correspondente a 2/3 do total) já fora executada, dando condições de continuidade de escavação em direção ao eixo da Terceira Perimetral. Perimetral, e constitui-se ao mesmo tempo na pista de rolamento da Terceira Perimetral;
No lado centro, já foram pavimentadas as alças laterais;
No lado bairro, já foram pavimentadas as alças laterais;
A escavação no lado bairro está concluída;
A escavação no lado centro avança em direção à Terceira Perimetral;
No início de jun-16 foi iniciada a execução do último 1/3 da laje de cobertura da trincheira. Para sua execução o tráfego na pista norte-sul foi desviado para o corredor de ônibus.
Qualificação que a obra trará:
Solução de transposição (evitando congestionamento) para um cruzamento onde circulam 75 mil veículos por dia.
Fases pelas quais a obra perpassou, dificultando sua continuidade:
A obra foi retomada no final de maio de 2015, após a rescisão com a primeira colocada que vinha executando a obra;
Protestos contra corte de árvores atrasaram o início da obra em seis meses;
A obra era para ter iniciado em jun-12. Com o impedimento dos cortes, a obra só pode ter início em jan-13;
A obra exigiu um aditivo para fazer frente ao desmonte de rocha. O aditivo teve de ser analisado pelo órgão de controle e Caixa. Esse processo de negociação do aditivo e de análise por parte do órgão de controle e agente financiador demandou um tempo considerável, fazendo com que a obra diminuísse seu ritmo.


TRINCHEIRA DA CRISTÓVÃO
Dados da obra:
• Início: jul-14
• Extensão: 300 metros
• Custo: R$ 12,5 milhões
• Estimativa de conclusão: segundo semestre de 2016
Status da obra:
Obra em andamento;
As áreas do Condomínio Calle Florida, no lado bairro (leste), foram autorizadas pela Justiça para a obra avançar (liberação em 13/11/15);
As paredes de contenção (estacas justapostas) da trincheira no lado centro (oeste) já foram executadas, permitindo o atual estágio avançado de escavação (escavações em direção ao eixo da Terceira Perimetral);
Após a liberação da área do condomínio pela Justiça, a obra nesse ponto avançou, permitindo a execução das estacas justapostas e, assim, possibilitou o início das escavações no lado bairro;
No lado centro, já foram pavimentadas as alças laterais;
No lado bairro, após a liberação de área na Justiça, foram concluídas as estacas justapostas, permitindo o início das escavações da trincheira;
Em execução os muros de contenção no lado bairro;
No lado centro a estrutura da trincheira está concluída;
No lado bairro a escavação avança para sua conclusão.
Qualificação que a obra trará:
Solução de transposição (evitando congestionamento) para um cruzamento onde circulam 85 mil veículos por dia.
Fases pelas quais a obra perpassou, dificultando sua continuidade:
Houve dificuldades na negociação com a Escolinha Amigos do Verde para liberação de área, pois o projeto previa transplantes de árvores e a escola era contra.
Desapropriações judiciais prejudicaram o cronograma dessa obra.


TRINCHEIRA DA CEARÁ
Dados da obra:
• Início: jan-13
• Extensão: 300 metros
• Custo: R$ 32 milhões
• Estimativa de conclusão: dez-16
Status da obra:
Obra em andamento;
A obra desenvolve-se de maneira simultânea nos lados norte e sul;
As paredes de contenção (paredes diafragma) da trincheira já foram executadas, tanto no lado norte quanto no lado sul. Em andamento a execução das paredes da trincheira no exato cruzamento das avenidas Ceará e Farrapos;
Nas cabeceiras da trincheira, tanto no lado norte quanto no lado sul, as lajes de fundo (pista de rolamento) já estão executadas;
A alça de acesso à avenida Farrapos (no sentido Norte – Zona Central) foi executada para permitir a implantação do novo desvio (já está operando);
A escavação atualmente concentra-se no terço médio da trincheira, sob o viaduto Leonel Brizola.
Qualificação que a obra trará:
Solução de transposição (evitando congestionamento) para um cruzamento onde circulam 75 mil veículos por dia.
Fases pelas quais a obra perpassou, dificultando sua continuidade:
Renegociação de preços para fazer frente à nova solução estrutural da trincheira. O consórcio inicialmente recusou-se a aceitar os preços impostos pelo município, por considerá-los baixos. Tais preços já tinham passado pelo crivo do órgão de controle e agente financiador. Portanto, o município tinha convicção em seus valores. Após o município anunciar nova licitação, o consórcio voltou atrás e retomou a obra, em jan-15;
A restrição de horários imposta à obra (trabalhos de execução das paredes diafragma somente à noite) levou a necessidade de estabelecimento de um cronograma com prazo de execução além do inicialmente planejado.


TRINCHEIRA DA PLÍNIO
Dados da obra:
Início: Sem previsão (depende de decisão judicial quanto às áreas que pertencem ao município e encontram-se ocupadas)
Extensão: 400 metros
Custo: R$ 30 milhões
Status da obra:
A obra não pode ser iniciada enquanto o município não retomar áreas que lhe pertencem e encontram-se ocupadas (ocupada por revenda de veículos). Tais áreas são fundamentais para o ritmo e continuidade de execução da obra;
Todos os desvios necessários à fase de execução estão implantados. Foram executados reforços no pavimento das vias que serão utilizadas como desvio, além de sinalização apropriada.
Qualificação que a obra trará:
Solução de transposição (evitando congestionamento) para um cruzamento onde circulam 93 mil veículos por dia.

Fases pelas quais a obra perpassou, dificultando sua continuidade:
A Justiça ainda não deu a reintegração de posse da área ocupada pela revenda de veículos em favor do município;
O município aguarda também a reintegração de área atualmente ocupada por loja de borracharia;
Enquanto o município não retomar tais áreas, a obra não poderá ser iniciada. Como as áreas localizam-se em pontos importantes da obra, suas liberações previamente à obra impõe-se, sob pena de restar no cruzamento da Terceira Perimetral bloqueios por tempo indeterminado, haja vista os prazos recursais inerentes às disputas judiciais.


PROLONGAMENTO DA SEVERO DULLIUS
Dados da obra:
Início: Set-15
Extensão: 1,9km
Custo: R$ 69 milhões
Estimativa de término: dez-16
Status da obra:
A obra foi iniciada em set-15;
Obra em pleno andamento;
A implantação do trecho da rua Dona Alzira que se conectará com a avenida Severo Dullius prolongada está concluída.
Próximas etapas:
Na segunda quinzena de mai-16 ocorreu o bloqueio da avenida Dique. A implantação de tal bloqueio era necessária para possibilitar a execução da ponte sobre o dique que fará a conexão com o prolongamento da avenida Severo Dullius;
Em execução a ponte sobre o arroio da Dique.
Qualificação que a obra trará:
O fluxo de veículos e ônibus que acessa Porto Alegre pela avenida dos Estados e BR-116 terá condições, com a implantação do prolongamento da avenida Severo Dullius, de acessar a zona norte diretamente pela avenida Sertório, sem ter que acessar a Terceira Perimetral pela avenida Ceará. A rota alternativa de acesso à zona norte sem ter que acessar a avenida Sertório pela avenida Ceará será a seguinte: alça do viaduto que dá acesso ao aeroporto Salgado Filho, trecho da avenida Severo Dullius existente, trecho prolongado da avenida Severo Dullius, rua Dona Alzira e, finalmente, a avenida Sertório. Além disso, a obra de prolongamento criará um anel viário no entorno imediato do aeroporto Salgado Filho, facilitando a saída e chegada de veículos e ônibus ao aeroporto nos dias em que são realizados eventos e shows em casa de espetáculos existente em frente ao aeroporto.

Fases pelas quais a obra perpassou, dificultando sua continuidade:
O traçado original do projeto seguia a diretriz 704 do Plano Diretor. Porém, o trecho apresentava em seu leito células de aterro sanitário, depositadas em época que se operava no local o antigo aterro da Zona Norte. Devido a isso, o traçado não viabilizou-se sob ponto de vista ambiental, na medida em que seu licenciamento ambiental exigiria o estabelecimento de medidas técnicas e ambientais antieconômicas;
Assim, um novo traçado teve de ser estabelecido, desviando das células de aterro sanitário. Tal traçado foi amplamente discutido com a SMAM, de modo a restar viabilizada sua licença ambiental. Esse processo demandou tempo considerável até chegar a sua solução, fazendo com que o cronograma inicialmente planejado tivesse de sofrer ajustes;
O novo traçado foi submetido ao órgão de controle, o qual manifestou-se favoravelmente à sua implantação;
Outra medida necessária fora a necessidade de aprovação do projeto junto ao agente financiador. O projeto, por sua magnitude e complexidade, demandou um tempo considerável de análise. Em ago-15, sua aprovação fora conquistada, dando condições de início de obra para o mês de set-15;
As desapropriações necessárias à implantação do projeto foram judicializadas, fazendo com que o cronograma sofresse atrasos.