1. Página Inicial
  2. Notícias
  3. RELATÓRIO OBRAS DE MOBILIDADE URBANA - MES DE FEVEREIRO / 2016
01/03/2016 - Implantação de 5 Obras na III Perimetral

RELATÓRIO OBRAS DE MOBILIDADE URBANA - MES DE FEVEREIRO / 2016

Relatório referente ao andamento das obras de mobilidade urbana em Porto Alegre no mês de fevereiro.

 CORREDOR AVENIDA TRONCO
Dados da obra:
 • Início: mai-12
 • Extensão: 6,2km de duplicação
 • Custo: R$ 124,1 milhões
 • Estimativa de conclusão: dez-17
Qualificação que a obra trará:
Implantação de ciclovia
16 estações de ônibus (08 por sentido)
Melhoria da mobilidade urbana entre a zona central e as zonas leste e sul
Status da obra:
TRECHO DA TERESÓPOLIS (Trecho de 500 metros)
Pavimentação concluída: A pavimentação no trecho de 500 metros, que inclui a execução das placas de concreto do corredor de ônibus, está concluída. A pista no sentido bairro-centro está liberada ao tráfego. O sentido centro-bairro está bloqueado para a conclusão da execução do passeio público (calçadas). Esses serviços de execução dos passeios públicos serão concluídos até fev-16.
TRECHO DA GASTÃO MAZERON (Trecho de 800 metros)
Dos 800 metros de extensão desse trecho, estão concluídos 700 metros de pavimentação, incluindo corredor de ônibus com placas de concreto. Até abr-16 será instalada nesse trecho a sinalização horizontal e vertical.Trecho de 100 metros está em execução.
A conclusão final de todo o trecho de 800 metros, incluindo a implantação das sinalizações horizontais e verticais está prevista para acontecer até jun-16. Esses 800 metros de via darão funcionalidade à mobilidade urbana da região, qualificando seu tráfego de ônibus e veículos, na medida em que a avenida Carlos Barbosa ficará menos carregada de fluxo viário. O trecho de 800 metros da avenida Gastão Mazeron receberá parte do fluxo que atualmente desloca-se apenas pela avenida Carlos Barbosa.
TRECHO DA MOAB CALDAS – Trecho entre a rua Francisco Massena Vieira e Passagem H (Trecho de 750 metros)
A pista à direita (tomando como referência o sentido avenida Icaraí - avenida Carlos Barbosa) apresenta pavimentação concluída. Na pista à esquerda (sentido avenida Icaraí – avenida Carlos Barbosa), estão executados 600 metros de pavimentação, incluindo corredor de ônibus.
A execução dos 150 metros restantes da pista à esquerda (entre a rua Neves e Passagem H) depende da realocação de famílias cadastradas no plano habitacional. O processo de reassentamento dessas famílias estão em andamento no DEMHAB. Até o final de mar-16 prevê-se o reassentamento das famílias que habitam nesse trecho, dando condições de no início de abr-16 iniciar a pavimentação desses 150 metros restantes.
TRECHO DA CRUZEIRO DO SUL – Trecho entre as ruas Dona Malvina e Padre Nóbrega (Trecho de 500 metros)
Obra em andamento nesse trecho de 500 metros. A obra incluiu a pavimentação asfáltica e pavimentação em placas de concreto para o corredor de ônibus.
TRECHO DA DIVISA – Trecho entre a rua Curupaiti e Icaraí (Trecho de 150 metros)
Nesse trecho, além dos 150 metros de pavimentação, está sendo executada a obra da futura rótula viária da avenida Icaraí (Os trabalhos de terraplenagem da rótula estão em pleno andamento – iniciaram em out-15, dentro da área que pertencia ao Jockey Club). A conclusão desse trecho de 150 metros e da rótula está prevista para jun-16.

Final de janeiro foi implantado o desvio da Avenida Divisa, próximo à Cruzeiro do Sul para a execução de um trecho de pavimentação 400 m, incluindo placa de concreto para corretor de ônibus.
- Das 1525 famílias que encontravam-se no traçado da obra, 1324 (86%) foram reassentadas por meio do bônus moradia, indenizações e aluguel social.
PAVIMENTAÇÃO CORREDOR PROTÁSIO ALVES
Dados da obra:
• Início: mar-12
• Extensão: 7,0km
• Custo: R$ 18 milhões
• Estimativa de conclusão: mar-16
Status da obra:
A obra está na fase final de execução
Faltam executar:
- Metade (segunda etapa, que representa 40 metros) da pavimentação no cruzamento da Osvaldo Aranha com a rua Paulo Gama (entrada do túnel da Conceição). A execução da pavimentação nesse cruzamento deu-se em etapas. A primeira e a segunda etapa já foram executadas. Para haver a liberação do trecho da metade bloqueada é preciso aguardar o tempo de cura do concreto, no final de fev-16.
-Trecho de 300 metros de extensão na Protásio Alves, entre a Lucas de Oliveira e avenida Neusa Goulart Brizola. Nesse trecho também haverá adequações no pavimento das plataformas de embarque / desembarque (sentido centro-bairro e bairro-centro) da estação de ônibus Vicente da Fontoura. As obras nesse trecho foram iniciadas entre 07 e 11/12/15, com previsão de conclusão em mar-16.
- De um total de 7000 metros, faltam concluir 330 metros.

PAVIMENTAÇÃO CORREDOR BENTO GONÇALVES
Dados da obra:
• Início: mar-12
• Extensão: 7,0km
• Custo: R$ 14 milhões
• Estimativa de conclusão: final do primeiro semestre-16
Status da obra:
A obra está na fase final de execução
Falta executar:
-Trecho de 680 metros, entre as ruas Paulino Azurenha e Guedes da Luz (em obras).
A conclusão desse trecho está prevista para o primeiro semestre de 2016
-Dos 7000 metros, faltam executar apenas esses 680 metros.
PAVIMENTAÇÃO CORREDOR JOÃO PESSOA
Dados da obra:
• Início: set-12
• Extensão: 3,2km
• Custo: R$ 5,6 milhões
• Estimativa de conclusão: dez-16
Status da obra:
Obra em andamento
-Já foram executados 2040 metros de pavimento, de um total de 3200 metros
No final de out-15 deu-se início da execução da etapa final de correção de placas (fissuras). Estão sendo recuperadas 15 placas de um total de aproximadamente 450 placas já executadas (cada placa apresenta dimensões de 3,5m x 4,5m).

CORREDOR VOLUNTÁRIOS DA PÁTRIA - DUPLICAÇÃO
TRECHO 1 – Trecho entre as ruas da Conceição e Ramiro Barcelos
Dados da obra:
• Início: jan-13
• Extensão: 1,0km
• Custo: R$ 13,3 milhões
• Estimativa de conclusão: dez-16
Status da obra:
Obra em andamento
- A pavimentação da pista Centro-Bairro da duplicação está concluída
- A pista Bairro-Centro está sendo executada em trechos em que as áreas de desapropriações foram liberadas
- Trecho entre as ruas da Conceição e Barros Cassal – Todo o trabalho de execução de base e sub-base foram executados. Os blocos intertravados foram executados.
- Trecho entre as ruas Barros Cassal e Garibadi – Executada a pavimentação em blocos intertravados de concreto.
- Trecho entre as ruas Garibaldi e Álvaro Guaspari – Em execução a implantação dos blocos de concreto.
TRECHO 2 – Trecho entre a Ramiro Barcelos e Sertório
Dados da obra:
• Extensão: 2,5km
• Custo: R$ 35 milhões
Status da obra:
- O início da obra depende de liberação de áreas que encontram-se em processo de desapropriação judicial e em negociação com o Governo do Estado do Rio Grande do Sul (CEEE e Instituto Riograndense do Arroz).
CORREDOR TERCEIRA PERIMETRAL
VIADUTO SÃO JORGE
Dados da obra:
• Início: ago-12
• Extensão: 540 metros
• Custo: R$ 73 milhões
• O viaduto já está liberado para circulação
• Observação: As etapas de laço de quadra (sentido norte-leste) e alça sentido norte-centro serão concluídas até jun-16
Status da obra:
-Viaduto concluído
-A alça junto ao viaduto (alça que dá fluxo norte – centro) já está concretada. Em fevereiro de 2016 a alça estará liberada para a circulação.
-A alça junto ao viaduto (alça que dá fluxo centro – sul) está concluído. No início de março de 2016 estará liberada para o fluxo de veículos.
-Em execução o laço de quadra que dará condições de deslocamento viário no sentido zona norte – zona leste. A execução da alça que dará condições de deslocamento viário no sentido zona norte – zona central já está concluído. Aguarda cura do concreto e será liberada no final de fevereiro.
TRINCHEIRA DA ANITA
Dados da obra:
• Início: jan-13
• Extensão: 210 metros
• Custo: R$ 13,4 milhões
• Estimativa de conclusão: segundo semestre de 2016
Status da obra:
-Obra em andamento;
-A obra desenvolve-se no lado bairro e lado centro, simultaneamente;
-As paredes de contenção (paredes diafragma) da trincheira já foram executadas, tanto no lado bairro quanto no lado centro;
-Parte da laje de cobertura da trincheira (parte correspondente a 1/3 do total) já fora executada, dando condições de continuidade de escavação em direção ao eixo da Terceira Perimetral. Essa 1/3 parte da laje de cobertura executada localiza-se na pista de sentido Sul-Norte da Terceira Perimetral, e constitui-se ao mesmo tempo na pista de rolamento da Terceira Perimetral; Esta laje de cobertura foi liberada para o fluxo no sentido sul-norte dia 10 de fev. Liberação essa que estabelece o fluxo normal nesse sentido da via.
-Tanto no lado centro quanto no lado bairro, já foram pavimentadas as alças laterais.
Qualificação que a obra trará:
-Solução de transposição (evitando congestionamento) para um cruzamento onde circulam 75 mil veículos por dia.
Fases pelas quais a obra perpassou, dificultando sua continuidade:
-A obra foi retomada no final de maio de 2015, após a rescisão com a primeira colocada que vinha executando a obra;
-Protestos contra corte de árvores adiaram o início da obra em seis meses;
- Após o trabalho de pavimentação da parte subterrânea da trincheira, tanto no lado bairro quanto no lado centro, ocoreerá a liberação das alças para o fluxo de veículos, pois os trabalhos de execução da pavimentação exigem movimentação de maquinas de grande porte, inviabilizando por ora a liberação das alças.
-A obra exigiu um aditivo para fazer frente ao desmonte de rocha. O aditivo teve de ser analisado pelo órgão de controle e Caixa. Esse processo de negociação do aditivo e de análise por parte do órgão de controle e agente financiador demandou um tempo considerável, fazendo com que a obra diminuísse seu ritmo.

TRINCHEIRA DA CRISTÓVÃO
Dados da obra:
• Início: jul-14
• Extensão: 300 metros
• Custo: R$ 12,5 milhões
• Estimativa de conclusão: setembro de 2016
Status da obra:
-Obra em andamento;
-As áreas do Condomínio Calle Florida, no lado bairro (leste), foram autorizadas pela Justiça para a obra avançar (liberação em 13/11/15);
-As paredes de contenção (estacas justapostas) da trincheira no lado centro (oeste) já foram executadas, permitindo o atual estágio avançado de escavação (escavações em direção ao eixo da Terceira Perimetral);
-Parte da laje de cobertura da trincheira (parte correspondente a 2/3 do total) já fora executada, dando condições de continuidade de escavação em direção ao eixo da Terceira Perimetral;

- No lado bairro (leste), foram implantadas as redes de drenagem e esgoto cloacal, além do posteamento de iluminação pública.
-Essa 1/3 parte da laje de cobertura executada localiza-se na pista de sentido Sul-Norte da Terceira Perimetral, e constitui-se ao mesmo tempo na pista de rolamento da Terceira Perimetral;
-Em jan-16 foi liberada para o tráfego a pista sentido sul – norte da Terceira Perimetral

- No lado centro, já foram liberadas ao fluxo viário as alças laterais (15 de fevereiro).
Qualificação que a obra trará:
-Solução de transposição (evitando congestionamento) para um cruzamento onde circulam 85 mil veículos por dia.
-Fases pelas quais a obra perpassou, dificultando sua continuidade:
Houve dificuldades na negociação com a Escolinha Amigos do Verde para liberação de área, pois o projeto previa transplantes de árvores e a escola era contra.
Desapropriações judiciais prejudicaram o cronograma dessa obra.

TRINCHEIRA DA CEARÁ
Dados da obra:
• Início: jan-13
• Extensão: 300 metros
• Custo: R$ 32 milhões
• Estimativa de conclusão: Segundo semestre-16
Status da obra:
-Obra em andamento;
-Estão sendo executadas as paredes diafragma da passagem subterrânea, com serviços realizados à noite, devido à restrição de horários imposta pela INFRAERO e V Comando Aéreo Regional da Aeronáutica (restrição imposta por questões de segurança da operação aeroportuária, haja vista a altura considerável do equipamento de escavação utilizado para a execução da obra).
Qualificação que a obra trará:
-Solução de transposição (evitando congestionamento) para um cruzamento onde circulam 75 mil veículos por dia.
Fases pelas quais a obra perpassou, dificultando sua continuidade:
Renegociação de preços para fazer frente à nova solução estrutural da trincheira. O consórcio inicialmente recusou-se a aceitar os preços impostos pelo município, por considerá-los baixos. Tais preços já tinham passado pelo crivo do órgão de controle e agente financiador. Portanto, o município tinha convicção em seus valores. Após o município anunciar nova licitação, o consórcio voltou atrás e retomou a obra, em jan-15;
A restrição de horários imposta à obra (trabalhos de execução das paredes diafragma somente à noite) levou a necessidade de estabelecimento de um cronograma com prazo de execução além do inicialmente planejado.
TRINCHEIRA DA PLÍNIO
Dados da obra:
Início: Sem previsão
Extensão: 400 metros
Custo: R$ 30 milhões
Status da obra:
-A obra não pode ser iniciada enquanto o município não retomar áreas que lhe pertencem e encontram-se ocupadas (ocupada por revenda de veículos e borracharia). Tais áreas são fundamentais para o ritmo e continuidade de execução da obra;
- Apesar de ter saído uma decisão favorável em fev-16 referente a área ocupada pela revenda de veículos, a prefeitura aguarda a decisão referente a outra área, ocupada por uma borracharia,.
-Todos os desvios necessários à fase de execução estão implantados. Foram executados reforços no pavimento das vias que serão utilizadas como desvio, além de sinalização apropriada.
Qualificação que a obra trará:
-Solução de transposição (evitando congestionamento) para um cruzamento onde circulam 93 mil veículos por dia.
Fases pelas quais a obra perpassou, dificultando sua continuidade:
-A Justiça ainda não deu a reintegração de posse da área ocupada pela revenda de veículos em favor do município;
-Enquanto o município não retomar tais áreas, a obra não poderá ser iniciada. Como as áreas localizam-se em pontos importantes da obra, suas liberações previamente à obra impõe-se, sob pena de restar no cruzamento da Terceira Perimetral bloqueios por tempo indeterminado, haja vista os prazos recursais inerentes às disputas judiciais.

PROLONGAMENTO DA SEVERO DULLIUS
Dados da obra:
Início: Set-15
Extensão: 1,9km
Custo: R$ 69 milhões
Estimativa de término: segundo semestre-16
Status da obra:
-Obra em pleno andamento;
-A implantação do trecho da rua Dona Alzira que se conectará com a avenida Severo Dullius prolongada está concluída.
- Está sendo executada a pavimentação do trecho.
Qualificação que a obra trará:
-O fluxo de veículos e ônibus que acessa Porto Alegre pela avenida dos Estados e BR-116 terá condições, com a implantação do prolongamento da avenida Severo Dullius, de acessar a zona norte diretamente pela avenida Sertório, sem ter que acessar a Terceira Perimetral pela avenida Ceará. A rota alternativa de acesso à zona norte sem ter que acessar a avenida Sertório pela avenida Ceará será a seguinte: alça do viaduto que dá acesso ao aeroporto Salgado Filho, trecho da avenida Severo Dullius existente, trecho prolongado da avenida Severo Dullius, rua Dona Alzira e, finalmente, a avenida Sertório. Além disso, a obra de prolongamento criará um anel viário no entorno imediato do aeroporto Salgado Filho, facilitando a saída e chegada de veículos e ônibus ao aeroporto nos dias em que são realizados eventos e shows em casa de espetáculos existente em frente ao aeroporto.
Fases pelas quais a obra perpassou, dificultando sua continuidade:
-O traçado original do projeto seguia a diretriz 704 do Plano Diretor. Porém, o trecho apresentava em seu leito células de aterro sanitário, depositadas em época que se operava no local o antigo aterro da Zona Norte. Devido a isso, o traçado não viabilizou-se sob ponto de vista ambiental, na medida em que seu licenciamento ambiental exigiria o estabelecimento de medidas técnicas e ambientais antieconômicas;
-Assim, um novo traçado teve de ser estabelecido, desviando das células de aterro sanitário. Tal traçado foi amplamente discutido com a SMAM, de modo a restar viabilizada sua licença ambiental. Esse processo demandou tempo considerável até chegar a sua solução, fazendo com que o cronograma inicialmente planejado tivesse de sofrer ajustes;
-O novo traçado foi submetido ao órgão de controle, o qual manifestou-se favoravelmente à sua implantação;
-Outra medida necessária fora a necessidade de aprovação do projeto junto ao agente financiador. O projeto, por sua magnitude e complexidade, demandou um tempo considerável de análise. Em ago-15, sua aprovação fora conquistada, dando condições de início de obra para o mês de set-15; As desapropriações necessárias à implantação do projeto foram judicializadas, fazendo com que o cronograma sofresse atrasos.