1. Página Inicial
  2. Notícias
  3. Corredor da avenida Protásio Alves está liberado
03/05/2016 - BRT - Avenida Protásio Alves

Corredor da avenida Protásio Alves está liberado

A obra foi iniciada em março de 2012 e executada pelo valor de R$ 18 milhões.

 A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) liberou o corredor de ônibus da avenida Protásio Alves, entre as ruas Vicente da Fontoura e Lucas de Oliveira, na segunda-feira, 2. Com a mudança, as linhas T7 e 429 Protásio/Iguatemi não terão mais necessidade de realização de retorno do corredor por ruas internas do bairro para acessar a Lucas de Oliveira. Os ônibus sairão direto do corredor para a Lucas de Oliveira, com utilização de sinalização semafórica específica no local, deixando de atender as paradas atualmente existentes na Corte Real e Dona Eugênia.

A liberação do corredor garantirá uma melhora significativa na circulação de veículos em toda a extensão da avenida Protásio Alves, sem a necessidade, agora, de compartilhamento no trânsito das vias laterais entre carros e ônibus. Técnicos e agentes de fiscalização do transporte estarão presentes no local para monitorar as alterações. “O reflexo desta mudança, com a liberação do corredor, será na redução dos tempos de viagem dos ônibus, com mais conforto aos usuários do transporte coletivo, além de uma circulação mais qualificada no conjunto da via, com fluxo mais liberado para todos os veículos”, afirma o diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari.

Pavimento - A obra de qualificação do pavimento do corredor de ônibus da avenida Protásio Alves teve sua etapa final de concretagem realizada ainda na primeira quinzena de abril, no trecho de 20 metros de extensão, no cruzamento com a Vicente da Fontoura. Depois disso, foi preciso aguardar o tempo adequado de cura do concreto e também o trabalho de pintura e sinalização da EPTC.

Durante sua execução, os trabalhos no corredor foram desenvolvidos por etapas. "Não haveria nenhuma possibilidade de bloquear tudo. A cidade sofreria um impacto muito maior em seu trânsito. Optou-se por avançar com as obras por trechos, sem nunca bloquer por inteiro nenhum cruzamento, ou seja, avançar com as obras mas sem inviabilizar o fluxo viário de seus entornos”, explica o coordenador técnico das obras de mobilidade urbana da Capital, Rogério Baú.


A obra foi iniciada em março de 2012 e executada pelo valor de R$ 18 milhões. Com a qualificação, o sistema de transporte coletivo da cidade recebe sete quilômetros de corredor de ônibus com pavimentação nova e mais resistente.

 Foto: Betina Carcuchinski/PMPA
Texto: Claudio Furtado

Acompanhe o andamento de algumas das obras que fazem parte do projeto.